Braquioplastia: Nova técnica dá um ar mais natural para a cirurgia que tira o excesso de pele na parte interna do braço


Estamos em pleno verão, temporada em que as pessoas deixam o corpo mais à mostra para se refrescar frente as altas temperaturas. Porém, trata-se de um período de preocupação para muitas mulheres, em especial as mais maduras, a parte interna do braço, em que fica o famoso músculo do “tchau”, que fica mais gordinho e flácido com o tempo, inibindo-as de usarem roupas mais vaporosas e decotadas.

Porém, o desenvolvimento de uma nova técnica de braquioplastia ajudou a tornar os resultados da cirurgia mais naturais e menos traumáticos. Isso acontece porque até pouco tempo atrás, a antiga braquioplastia oferecia resultados pouco animadores, além de gerar cicatrizes enormes nos braços, exigindo em média, 50 pontos, que eram dados da axila aos cotovelos, sendo indicada normalmente, para pessoas que se submeteram à cirurgia de redução de estômago, e emagreceram rapidamente.

Atualmente, a nova braquioplastia é realizada para as pessoas que não têm tantos excessos de pele e é bem menos traumática, já que o procedimento é feito por meio de um corte na axila, direcionando o excesso de pele diretamente para lá, sendo que a fatia excedente é retirada da altura do corte, e a pele do braço é reacomodada para ficar em seu lugar normal.

Vale lembrar de que eventuais gordurinhas podem ser removidas durante a operação, pois eles podem ser sugadas em uma pequena lipo. Além disso, o corte realizado fica bem pequeno, com aproximadamente seis centímetros, ficando escondido na região das axilas, proporcionando um resultado bem natural.

Apesar de resultados mais discretos, a nova braquioplastia pode provocar uma sensibilidade adicional na região das axilas, além da perda de uma parte dos pelos e das glândulas sudoríparas da região, mas poucas mulheres se importam com essas sequelas.

Assim como qualquer cirurgia, a braquioplastia é um procedimento que envolve riscos e a pessoa deve avaliar muito bem se ela é realmente necessária. Antes dos 50 anos é possível amenizar os efeitos do músculo do “tchau” com um intenso trabalho de exercícios físicos envolvendo a região do tríceps, mediante supervisão de um profissional habilitado.

Porém, isso irá depender muito da genética, já que a pele dessa região interna dos braços é muito fina, e, ao chegar aos 50 anos, muitas mulheres, mesmo aquelas que têm uma rotina intensa de exercícios, como a cantora Madonna, de 54 anos, podem ficar com os músculos flácidos na região. Por isso, recomenda-se avaliar caso a caso, dependendo do estilo de vida de cada mulher e os efeitos que o procedimento fará em sua autoestima.

Além da flacidez do músculo do tchau, outro problema estético que costuma incomodar as mulheres maduras, é aquela gordurinha que escapa entre a alça do sutiã e a axila, que atinge muitas das que passaram dos 50 anos, inclusive com a atriz Sharon Stone, 54 anos, uma das divas do cinema, que foi recentemente vista em um evento deixando escapar o “gordinho do sutiã”, ao usar um vestido mais decotado.

De acordo com os cirurgiões plásticos, também é possível resolver esse problema durante a cirurgia de braquioplastia, por meio de uma minilipo, onde é feito um corte no local e é retirada uma parte do tecido.  Vale lembrar de que a braquioplastia não oferece resultados permanentes, pois caso a paciente ganhe peso, voltarão as gordurinhas nesses locais, já que a lipo remove uma boa quantidade de gordura, mas não todas.

Veja fotos de antes e depois Braquioplastia:

Por Selma Isis