Hidroginástica: Aparelhos que normalmente usados no solo agora vão para a piscina e garantem exercícios animados e alta queima de calorias


Queime calorias através da Hidroginástica

Com a vinda do calor, costuma aparecer o desânimo para muitas pessoas, que não toleram se exercitar sob altas temperaturas. Uma boa saída para manter a rotina de exercícios e se refrescar é optar pela hidroginástica durante o verão.

A novidade é que a hidroginástica tradicional vem perdendo espaço nas piscinas para aulas que utilizam aparelhos que até então eram usados somente no solo, com o objetivo de deixar os exercícios mais animados.

Academias das principais cidades brasileiras estão cada vez mais oferecendo essa modalidade, sendo que passaram a adaptar os aparelhos típicos de solo para serem utilizados no meio aquático.

Um dos exercícios mais conhecidos é a “hidrobike”, modalidade em que os alunos pedalam dentro da piscina. Agora, as novidades incluem o “jump” (uma espécie de minicama elástica individual) e das esteiras, que ficam submersas na piscina, e que prometem ser as atividades mais procuradas deste verão.

Exercitar-se na água costuma ser uma boa alternativa especialmente para as pessoas que estão com excesso de peso, já que a pressão da água minimiza o impacto que ocorreria no solo, reduzindo as lesões. Foi um dos motivos do ex-jogador Ronaldo Fenômeno realizar exercícios dentro da água para o quadro “Medida Certa” exibida no Fantástico, já que está bem acima de seu peso recomendado pelos médicos.

Os exercícios no solo fazem com que o corpo precise administrar um impacto grande, enquanto que na piscina existe o empuxo, a força que a água faz de baixo para cima e que acaba deixando o impacto mais leve, sendo uma alternativa segura para se exercitar, indicada pelos profissionais da saúde.

Segundo especialistas, a água evita lesões nas articulações. Por conta disso, as atividades na piscina também são uma boa opção para as pessoas que não estão habituadas a praticar esportes.

A piscina é, portanto, uma excelente opção para as pessoas que pretendem perder peso, já que as aulas na água não proporcionam ganho de massa muscular, mas mantêm a massa existente além de enrijecê-la. Além disso, como são exercícios aeróbicos, existe perda de gordura.

Dentre as aulas debaixo d’água que vem fazendo muito sucesso nas academias, destaca-se o circuito aquático. Semelhante ao que é realizado no solo, os alunos se exercitam na piscina com esteira, bicicleta, abdominal e “jump”, que promete queimar, em média, 500 calorias durante uma hora de exercícios.

As aulas em circuito embaixo d’água são formadas por quatro estações: faixa elástica, que tem a função de um pesinho e exige maior esforço do aluno nos movimentos; “band Ball”, uma espécie de equipamento formado por uma bola flutuante e elásticos; “jump”, e por último, a ginástica sem fazer uso de nenhum aparelho.

Os circuitos aquáticos são atividades para as pessoas que estão entediadas com os treinos convencionais, já que o trabalho na piscina é mais agradável e costuma ser normalmente realizado em grupos, que o torna mais divertido.

De acordo com especialistas, não existe contraindicação para os exercícios aquáticos, pois as atividades podem sofrer adaptações conforme a idade e as condições físicas dos praticantes, tomando o cuidado de monitorar a frequência cardíaca.

Por Selma Isis