Cuidado na hora de usar remédios para humanos em animais


Cuidado ao medicar seu animalzinho de estimação por conta própria

É preciso muito cuidado na hora de medicar o seu animal de estimação. Apesar de as intenções serem as melhores possíveis, o uso de remédios indicados para humanos pode causar diversos danos e até pior o estado de saúde de cães e gatos, sendo que a automedicação pode levar, até mesmo, à morte do animal.

Dessa forma, por mais que alguns remédios possam ser usados nos animais, é preciso sempre consultar um médico veterinário antes de fazê-lo por conta própria. Isso acontece porque muitas substâncias são utilizadas na medicina veterinária também, sendo que a diferença está na dosagem e frequência, que costumam ser calculadas conforme o peso e a espécie do animal.

Segundo veterinários, existem, por exemplo, diferenças entre cães e gatos quanto à dose e à frequência do mesmo medicamento, que também se diferenciam no uso humano. E assim como na automedicação humana, utilizar remédios sem consultar um veterinário em seu animal de estimação pode piorar o seu quadro, além de causar alergias, intoxicação e até mesmo o seu falecimento.

Por isso, deve ser evitado o uso de medicamentos como analgésicos e anti-inflamatórios, como ácido acetilsalicílico, paracetamol e diclofenaco sódico. Outro efeito colateral no uso de remédios para humanos em animais está o desenvolvimento de gastrites. Isso acontece porque o uso de anti-inflamatórios pode provocar úlceras e sangramentos gastrointestinais que podem levar à morte.

E o maior problema não está no exagero. Doses menores do que as necessárias também são perigosas. Veterinários advertem que quando se usa uma dose muito pequena, no caso dos antibióticos, existe a chance de deixar o animal mais propenso a uma resistência bacteriana.

Caso o seu pet apresente alguma doença, a instrução continua sendo a mesma: procure um médico veterinário de sua confiança o mais rápido possível. No caso de diarreia ou vômito, também necessitam de atendimento.

Segundo veterinários, nesses casos, o primeiro cuidado que o dono deve ter é retirar a comida e água. Em seguida, levar o animal a um veterinário para descobrir a causa do sintoma. Se for o caso, o profissional já iniciará o tratamento.

Caso o animal já tenha tido esse problema anteriormente, passado em consulta e estiver com o medicamento que foi prescrito para atender a esses sintomas, o dono poderá utilizar esse medicamento, já que o veterinário estabeleceu uma dosagem adequada ao porte do animal. Porém, o dono deverá antes ligar para o profissional para informar do procedimento, e retornar em consulta com o animal o quanto antes.

Por Selma Isis