Síndrome da Pressa: Prejudica o desempenho no trabalho


Síndrome da Pressa: O profissional com síndrome da pressa não consegue se desligar do trabalho, quase nunca se permitindo a ter um momento de lazer.

 

De acordo com estudos divulgados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), nove em cada 10 pessoas sofrem com as mais diversas formas de estresse, um dos principais fatores para o desencadeamento de diversas doenças, como diabetes, câncer, depressão e problemas cardiovasculares.

Especialistas apontam de que o estresse pode até ser saudável para o organismo em certo ponto, mas em excesso prejudica a qualidade de vida do indivíduo. E um dos locais mais propícios para o desencadeamento do problema é no ambiente de trabalho, já que nenhum trabalhador está livre de passar por uma situação estressante.

A cobrança por resultados, o excesso de atividades e até mesmo a necessidade de cumprir metas costumam afetar o equilíbrio corporal. Isso acontece porque o local de trabalho pode desenvolver, em algumas pessoas, a Síndrome da Pressa, problema que prejudica tanto a vida profissional como pessoal.

A Síndrome da Pressa deixa o funcionário mais agressivo e competitivo, com vontade de produzir cada vez mais em menos tempo. Dessa forma, a pessoa fica com dificuldade de se concentrar e fica com a sua criatividade afetada em razão de procurar resolver os problemas de forma imediata.

Como as pessoas buscam resultados rápidos em todos os aspectos de sua vida, tanto no ramo pessoal como profissional, quem não consegue lidar com o tempo adequadamente sofre mais, em especial quando precisa cumprir horários e prazos.

Caracterizada pelos médicos como um quadro permanente de ansiedade, a Síndrome da Pressa pode se transformar em sérias doenças. Pesquisas apontam que pelo menos 30% dos trabalhadores brasileiros sofrem com o problema.

Isso acontece porque a cultura predominante nas empresas atualmente é a cobrança pela superação de limites, com a necessidade de sempre fazer o melhor possível, tendo como consequência pessoas que se cobram excessivamente para cumprir tudo o que é exigido, o que desencadeia o estresse.

As pessoas que sofrem com essa síndrome costumam ficar em constante estado de alerta, impacientes e irritados. Um dos principais itens que devem ser observados no diagnóstico do problema é o acúmulo de atividades.

O profissional com síndrome da pressa não consegue se desligar do trabalho, quase nunca se permitindo a ter um momento de lazer, e quando consegue arrumar um tempo para o descanso e o lazer, não consegue aproveitá-lo adequadamente.

Para obter maior qualidade de vida e evitar a síndrome da pressa, a maneira mais eficiente é que a pessoa mude a forma de encarar as situações cotidianas. Não existe um padrão, mas sim que cada indivíduo procure se analisar e verificar se existe algo que está faltando ou em excesso para obter o seu equilíbrio.

Importante lembrar deque um bom funcionário não é aquele que produz mais, mas aquele que realizar um trabalho de qualidade e que obtém melhores resultados. Além disso, as empresas devem fazer a sua parte, oferecendo um ambiente de trabalho que seja agradável aos seus funcionários e colaboradores.

Dentre as principais medidas que profissionais recomendam para as empresas são: ginástica laboral, jornada de trabalho reduzida e programas de valorização do bem-estar físico e mental dos profissionais.

Além disso, dependendo do caso, também pode ser necessário o afastamento do profissional do trabalho, bem como mudança de hábitos e medicação.

Por Selma Isis