Atenção na hora de usar o adoçante


Produto que tinha tudo para ser um grande aliado nas dietas, por adoçar o cafezinho, bem como permitir a ingestão de refrigerantes e doces com poucas calorias. Entretanto, pesquisas apontam que esse produto pode ser um vilão para o nosso organismo.

Isso acontece porque os adoçantes, ou melhor, os edulcorantes, o seu termo técnico, devem ser utilizados como se fossem remédios, ou seja, moderadamente. Dessa forma, eles não devem ser consumidos em dietas de emagrecimento, pois alguns deles podem provocar o aumento da pressão arterial e a retenção de líquidos.

Além disso, os adoçantes aumentam a compulsão por doces, já que provocam estímulos nas papilas gustativas. Segundo especialistas, o adoçante deve ser consumido por pré-diabéticos, diabéticos e intolerantes à glicose.

Estudos ainda constataram que os principais tipos de adoçante, o aspartame e sacarina, os mais comuns no mercado, podem provocar diversos problemas de saúde. Médicos apontam que a sacarina sódica pode causar má-formação no feto, porque ele se deposita nas células que formam o embrião, o que acontece não somente durante a gravidez, mas também ao longo da vida da mulher.

Já o aspartame pode atuar na parte neurológica, bem como causar tremores, ansiedade, diarréia, compulsão e irritabilidade, sem falar de que podem agravar os sintomas de labirintite. Segundo especialistas, o produto já deixou de ser comercializado em diversos países por causar problemas como o Mal de Alzheimer e Parkinson, além de depressão.

Importante ressaltar de que muitos produtos que consumimos em nosso dia a dia, em especial pelos jovens, contam com sacarina sódica, em especial os refrigerantes e chicletes diet. Outros alimentos disponíveis no mercado que costumam levar aspartame são iogurtes, sucos de soja e medicamentos como a vitamina C efervescente, por isso, é bom ficar atento no rótulo dos produtos antes de comprar.

Como a fórmula dos produtos costuma variar, os médicos aconselham o consumidor a verificar a composição dos ingredientes, por isso, é preciso ler os rótulos do produto atentamente , verificando se ele conta com aspartame ou sacarina. Vale lembrar de que os estudos relacionados aos malefícios dos adoçantes ainda não são conclusivos, mas vale o bom senso e consumir o produto de forma moderada.

Para as dietas de emagrecimento, especialistas sugerem alternativas ao uso do adoçante, em especial consumir alimentos ricos em vitaminas, como verduras e frutas, que reduzem a vontade de consumir açúcar.

Já para as pessoas que pretendem cortar o açúcar, a dica é substituir a versão refinada pelo açúcar demerara, mascavo ou mesmo frutose, que possuem menos calorias e são mais nutritivos. Porém, também devem ser consumidos moderadamente. Em caso de dúvidas, consulte sempre um nutricionista ou um médico nutrólogo.

Por Selma Isis