Aberta a temporada de cruzeiros marítimos e oportunidades para quem deseja trabalhar como tripulante


Com a vinda das estações mais quentes do ano, está aberta a temporada de cruzeiros marítimos pela costa brasileira. A bordo de imensos transatlânticos, muitos brasileiros trocam a terra firme pelo mar para trabalhar nas mais variadas profissões, como de camareira, garçom, recreador infantil, agente de turismo, entre muitas outras.

Dentre os motivos que atraem cada vez mais profissionais para trabalhar nos cruzeiros marítimos se destacam a oportunidade de conhecer destinos exóticos e de receber salários em dólar. Segundo especialistas na área, os salários iniciais para tripulantes de cruzeiros marítimos costumam variar de US$ 700 a US$ 1.000 mensais, conforme o cargo.

Os profissionais que trabalham em cruzeiros marítimos costumam enumerar as diversas vantagens, que são: boa remuneração, possibilidade de viajar pelo mundo e oportunidade de conhecer diversas culturas, já que em algumas funções, como a de agente de excursão, os funcionários descem e acompanham os grupos nos passeios.

Trabalhar em um cruzeiro marítimo pode ser atraente, porém, especialistas na área apontam que nem tudo são flores na vida dos tripulantes. Pesam a distância da família e o fato de se comunicar diariamente em um idioma que não é a sua primeira língua, sendo que o idioma inglês é obrigatório para as pessoas que pretendem ingressar neste mercado.

Além disso, a rotina de trabalho costuma ser uma dificuldade enfrentada por muitos profissionais, já que em média, a tripulação de um cruzeiro marítimo costuma trabalhar 12 horas diárias, ressaltando de que todo dia é segunda-feira.

Isso acontece porque não existem dias de folga nos navios, mas sim apenas horas de descanso, momentos em que os tripulantes conseguem “espiar” o local pelo qual estão passando para filmar e tirar fotos da paisagem.

Importante ressaltar de que para quem tem interesse em trabalhar nos cruzeiros marítimos, é necessário fazer um curso e salvatagem. O único curso exigido para o embarque é o de segurança a bordo (STCW), exigido pela Marinha Brasileira.

Nesse caso, todos os candidatos que forem aprovados devem realizá-lo no Brasil. Dentre as principais matérias ministradas no curso, o profissional aprende a como se portar em situações de emergências e primeiros socorros. Isso acontece porque, em tese, espera-se que quem trabalha em um navio deve estar preparado para situações inesperadas, e até mesmo naufrágios.

Ao contrário do que se imagina, o trabalho em alto-mar não necessita ser algo temporário, para atuação em pequenas temporadas. O profissional que tiver interesse e for dedicado, assim em qualquer profissão, pode fazer carreira como tripulante, já que em todo departamento do navio, existe um plano de carreira.

Se você deseja ingressar na área, confira as seguintes dicas e onde procurar emprego:

-É necessário ter, no mínimo, 18 anos completos para trabalhar nas companhias brasileiras e europeias. Já nas norte-americanas, exige-se a idade mínima de 21 anos;

-Algumas funções exigem o ensino médio completo, como recreador infantil e cargos administrativos, outras exigem também ensino superior;

-O candidato deve falar, no mínimo, inglês;

-Ter disposição para trabalhar todos os dias por, em média, 10 horas, pois nos navios de passageiros não existem dias de folga, mas sim, horas de folga;

-Fazer o curso de segurança a bordo (STCW), exigido pela Marinha Brasileira e estar com o passaporte em dia, além do visto C1D, emitido pelo Consulado dos EUA, para quem vai embarcar nos navios de companhias norte-americanas.

Confira a seguir sites de algumas empresas da área que disponibilizam vagas em seu próprio site, ou em agências recrutadoras:

New Crew: www.newcrew.com.br

Ship Jobs: www.shipjobs.com.br

Infinity Brazil (que abrange diversas companhias, como a MSC Cruzeiros): www.infinitybrazil.com.br

Por Selma Isis