Fiat Uno Mille: Carro mais barato do Brasil terá produção interrompida até o final de 2013


Saiba porque o Fiat Uno Mille vai parar de ser fabricado.

Lançado há mais de duas décadas, um dos automóveis mais baratos e populares do mercado, o Fiat Mille, terá sua produção encerrada até o final do ano que vem. Isso acontece devido a mudanças na legislação brasileira, que prevê que todos os veículos produzidos no país a partir de 2014 contem, obrigatoriamente, de airbags e freios ABS por questões de segurança.

Lançado em 1990, ainda como uma versão do Fiat Uno, o veículo passou somente por duas reestilizações: uma em 2004, quando recebeu uma nova grade dianteira, lanternas e faróis, e outra em 2008, quando o compacto renovou o seu motor Fire, proporcionando maior economia de combustível além de nova atualização visual.

Como o projeto do veículo remota da década de 80, sendo feitas somente algumas mudanças estéticas, como as grades e lanternas, a estrutura o hach é praticamente a mesma, mantendo suas linhas conservadoras, e que não permite a sua adaptação para as novas exigências.

Dessa forma, não resta outra alternativa para a montadora italiana a não ser a extinção do modelo, apesar de estar entre um dos automóveis mais vendidos do Brasil, especialmente por seu preço acessível- com preços a partir de R$ 21.360, sem falar de seu notório baixo consumo.

Somado ao novo Uno, o Mille surge como o segundo modelo de automóvel mais vendido no Brasil, já que o Detran, órgão responsável pelo registro dos veículos mais vendidos, não faz diferenciação sobre os dois modelos compactos da Fiat.

Um dos principais fatores do sucesso de vendas e da longevidade do modelo no mercado brasileiro se deve como, já citamos anteriormente, pelo baixo preço e consumo de combustível, que ainda supera versões de veículos mais modernos.

Em uma avaliação feita pelo INMETRO no início do ano, o veterano hatch da Fiat ainda liderava o ranking dos automóveis mais econômicos do Brasil, avaliação que você pode conferir em nossos posts anteriores.

Além disso, a montadora italiana sempre apostou no Fiat Mille como a versão mais econômica para os consumidores brasileiros, desde o seu lançamento. Isso acontece porque, no início dos anos 90, o governo federal oferecia incentivos fiscais para automóveis que contassem com motorização de até 1.000 cilindradas.

Diante desse benefício, a Fiat foi a primeira montadora a lançar um veículo com essa motorização no mercado nacional, popularizando os chamados “carros mil”, praticamente sinônimo de veículos econômicos e funcionais.

O Fiat Mille abriu caminho para que outras montadoras também investissem nesse mercado, como a Volkswagen, que lançou o Gol 1.000 e a Chevrolet, que lançou o Chevette em sua versão 1.0, ambos em 1991.

Após 22 anos de uma história bem-sucedida, o Fiat Mille sairá de cena para dar lugar a um novo veículo de entrada da Fiat, já que o Novo Uno , que originalmente seria o novo modelo de entrada da marca, passou a ser aceito em um novo segmento, a dos veículos compactos Premium- que contam com mais opções de conforto- e consequentemente, preço mais elevado, sobretudo para o principal público-alvo do Mille: empresas de prestação de serviços e motoristas que desejam adquirir um segundo veículo para a esposa ou para o filho ir à faculdade.

Resta esperar para conferir como será o novo modelo que terá a difícil tarefa de substituir um dos automóveis mais queridos do Brasil.

Fotos do Fiat Mille

Por Selma Isis