Como enfrentar o estresse do dia a dia


Com a correria do dia a dia, você pode não imaginar, mas o estresse está presente em sua vida quase que o tempo todo, sendo considerado um dos males dos tempos modernos. A manifestação biológica, que se tornou motivo para o mau humor, impaciência depressão e até mesmo em acontecimentos menos severos em nosso cotidiano, como por exemplo, aquela vontade que temos de esganar o chefe.

Caso você apresente sintomas como falta de saciedade, ansiedade, insônia e irritabilidade, pode ser que o estresse tenha pego você. E o pior é que, além de prejudicar a saúde, o estresse faz engordar, já que provoca a alteração dos hormônios.

Segundo especialistas, o estresse é uma resposta de nosso corpo a estímulos exteriores, que levam a uma reação de fuga ou luta. Esses estímulos podem ser prejudiciais ou não, tendo o estresse bom (eustress) ou o estresse ruim (distress), sendo este último, o responsável pela doença.

Quando exposto a situações que desencadeiam o estresse, nosso organismo eleva a concentração de dois hormônios: a adrenalina e o cortisol. O primeiro nos causa o aumento na frequência cardíaca e respiratória, além de aumentar os níveis de glicemia.

Já o segundo, de forma crônica, colabora para que a ação da adrenalina seja mais eficaz e, entre outros efeitos, desenvolve doenças no sistema gástrico e cardiovascular, além de distúrbios no sono.

Os estímulos externos que desencadeiam o estresse são inúmeros, desde as variações da temperatura ambiente à lista de tarefas que lhe são atribuídas durante o trabalho. Ou seja, são infinitas as chances de que você possa ficar defronte de situações que podem provocar reações positivas ou negativas.

Apesar de ser uma reação natural, se o estresse resultar em efeitos negativos, deve ser visto com mais atenção. Isso acontece porque em casos mais sérios, o estresse pode provocar gastrites, diabetes, obesidade e hipertensão.

E a tarefa de identificar a doença não é tão difícil. Especialistas apontam que um dos sintomas do estresse de maior detecção costuma ser a falta de controle em algumas situações que anteriormente não provocavam essa reação.

Importante ressaltar de que esses sintomas também podem indicar doenças como tumor na glândula adrenal ou distúrbios da glândula tireoide, que necessitam de investigação e acompanhamento médico.

Apesar de não ser possível identificar precisamente quais são os fatores que provocam o estresse negativo, pois tudo irá depender do histórico de cada indivíduo, é possível indicar quais são as pessoas que estão mais propensas a sofrer com esse mal. Médicos apontam que o sedentarismo associado à falta de lazer e atividade física são os principais sinais de que a pressão no trabalho, na vida social e em casa, irão trazer os sintomas de estresse ruim no indivíduo.

Dessa forma, para combater o estresse é fundamental investir no lazer e descanso. Para suportar a pressão da semana, especialistas recomendam o equilíbrio entre as atividades de trabalho, dedicação à família, atividade física e lazer.

Identificar o que você mais gosta de fazer e conseguir incluir prazeres em sua rotina ajudam a deixar a vida melhor, além de ajudá-lo a desempenhar melhor as tarefas cotidianas.

Por Selma Isis