Dependência Virtual: Saiba quando você deve maneirar o tempo no computador ou no videogame


Alguém ainda tem dúvidas de que os jogos eletrônicos sejam um dos hobbies que mais fascinam pessoas de todas as idades ? Quantas vezes você já viu alguém vidrado diante de uma TV conectada a um videogame ou na tela do computador ?

Como está cada vez mais fácil se ter jogos, e-mail, redes sociais e outros itens da internet também nos celulares- os famosos smartphones, o “vício de ficar conectado o tempo todo só aumenta, pois é possível suprí-lo a cada hora ou local, bastando um clique.

Os aficionados por games e internet, se multiplicam e essa paixão virou até mesmo questão de saúde pública, sendo esse vício considerado tão sério que existem programas especiais para tratar quem sofre dele.

Segundo especialistas, como a diversão e os meios de contato eletrônico estão cada vez mais acessíveis, as pessoas que têm receios de se relacionar pessoalmente passam a se sentir mais seguros por se comunicarem pela internet, levando-as a se isolarem dos amigos e parentes, trocando o contato pessoal pelo virtual.

A dependência virtual pode desencadear diversos problemas, que vão de efeitos sociais negativos a complicações de saúde. Dentre os comportamentos mais freqüentes, estão: vícios por jogos online, chats, dificuldade de interagir com o mundo real, entre outros distúrbios físicos e emocionais.

Segundo pesquisas, são as redes sociais as maiores responsáveis pela dependência virtual. É possível verificar diversos exemplos do uso excessivo das redes sociais, bastando acessar algum deles e notar que muitos participantes divulgam de maneira excessiva sua opinião a respeito de alguma atividade que estão realizando, como assistindo a um show, peça de teatro, televisão ou jogo de futebol.

Importante ressaltar de que as redes sociais não são os únicos meios onde ocorre a dependência virtual: jogos online, busca de informações, blogs, compras, e-mails, sites eróticos, entre outros, também provocam o desejo das pessoas ficarem sempre ligadas na rede mundial de computadores.

Segundo especialistas, não são apenas as horas passadas em frente ao videogame ou computador que indicam que você precisa maneirar, também é preciso dar atenção a outros sinais, como:

-Permanecer mais tempo jogando ou conectado do que o programado e não perceber;

-Ter dificuldade de ficar longe do computador ou do videogame;

-Deixar de fazer atividades da vida cotidiana, como as escolares, profissionais e sociais, para ficar em casa jogando ou conectado;

-Isolar-se dos amigos e familiares, dedicando o seu tempo apenas aos amigos virtuais;

-Mentir aos outros a respeito da quantidade de horas que passa online;

-Precisar permanecer cada vez mais tempo conectado para atingir a sensação de bem-estar;

-Ficar irritado e desconfortável quando fica impossibilitado de usar o computador ou o videogame;

-Acreditar que sem a internet e os jogos a sua vida não teria graça, além de sentir que é esperto e criativo somente online.

Se por acaso você verificar de que não se trata de mais uma atividade simples, mas sim um hábito que se transformou em doença, é importante procurar ajuda profissional, como psiquiatras ou psicólogos.

Para quem reside na Grande São Paulo, também pode entrar em contato com entidade que oferecem ajuda a dependentes virtuais, como o Programa de Orientação e Atendimento a Dependentes da Unifesp (Universidade Federal de São Paulo): www.proad.unifesp.br

Por Selma Isis