Pirâmide Financeira: Um antigo golpe que ainda faz muitas vítimas

No início da década de 90, diversas pessoas foram lesadas por diversos golpes como os da “Pirâmide Financeira”, uma espécie de corrente em que uma pessoa deveria desembolsar uma quantia considerável, e procurar mais 10 pessoas dispostas a desembolsar a mesma quantia. Essa ideia é lucrativa apenas para quem iniciou a corrente, pois é o primeiro a receber o dinheiro dos outros participantes.

Esse tipo de golpe prejudicou diversas pessoas, principalmente na Grande São Paulo. O comerciante Robson*, de Santo André, foi uma das vítimas: “Desembolsei na época R$ 1 mil, e essa quantia foi encaminhada ao meu cunhado, que foi um dos únicos beneficiados dessa corrente. Tentei localizar 10 pessoas dispostas a entrar na pirâmide, mas não obtive sucesso”.

Recentemente, esse tipo de corrente voltou com força total, reformuladas e rebatizadas com o nome de “Marketing de Rede” ou”Marketing Multi Nível” (MMN), utilizando métodos e conceitos desvirtuados do sistema de marketing, mas mantendo as características da pirâmides financeiras.

As vítimas são contatadas através de anúncios nos cadernos de empregos nos jornais das grandes cidades brasileiras, que ainda conseguem seduzir muita gente pela proposta de ganhar muito dinheiro em pouco tempo.

A reportagem entrou em contato com um telefone publicado em um desses anúncios em um jornal de grande circulação. A repórter participou de uma entrevista com um representante de uma empresa que lhe oferece uma proposta de ascensão rápida, com pouco esforço.

“Inicialmente você começa com um investimento, comprando 200 dólares em produtos (cerca de R$ 400), sendo que você deverá procurar mais cinco pessoas dispostas a investir na mesma quantia e também a contatar mais cinco pessoas cada uma”, disse o representante.

O maior problema dessas correntes do estilo “Pirâmide” é o alto risco do participante não conseguir encontrar esse determinado número de pessoas para participar e assim, arcar com um grande prejuízo. Foi o que aconteceu com a médica Ana*, de São Paulo:

“Fiquei muito impressionada com a forma que os proponentes divulgavam a ideia da pirâmide. Mostravam casos em que os participantes ficavam milionários. Entrei de cabeça nesse negócio e não consegui vender nenhum produto”.

Dessa forma, volta e meia eles surgem rebatizados de outros nomes, mas todos funcionam de maneira semelhante. É importante ter em mente que se somente uma pessoa quebrar o esquema da pirâmide, o que certamente irá acontecer, os demais participantes ficam no prejuízo. Por isso, não caia na conversa de anúncios que prometem altos ganhos em pouco tempo, pois com certeza, você ficará no prejuízo.

Dicas para não entrar em uma fria:

-Desconfie de anúncios de empregos que prometem muito dinheiro em pouco tempo;

-Se no anúncio estiver apenas o número de telefone, procure ligar e esclarecer sobre o tipo de atividade da empresa e se ela é reconhecida no mercado em que atua;

-Nunca deixe nenhum pagamento adiantado;

-Também não deixe seu currículo, número de teletone ou endereço para os proponentes da pirâmide.

Por Selma Isis


1 comment

  1. Ressabiado disse:

    Tem ouvido falar das duas empresas que tem tido muitas adesões, uma prometendo dinheiro por ASSISTIR anúncios, a outra prometendo tres diárias de hotel por 650 reais, ainda com a promessa de ganhar 5200 indicando duas pessoas?

Comments are closed.