Corretor de Imóveis: Profissão ajuda a realizar o sonho de uma família

Orientar a compra e o financiamento de um imóvel, servindo como uma ponte entre o proprietário e um possível comprador. Esta é a principal função de um corretor de imóveis, profissão que atualmente conta com um ótimo mercado em todo o Brasil, devido aos incentivos do setor imobiliário, promovidos pelo Governo Federal.

Apesar disso, profissionais do ramo advertem que para ingressar nesse ramo, é preciso ter uma boa formação, ser atuante, e buscar constantemente atualização e aprimoração. “De 100 corretores formados que ingressam no ramo, no fim apenas 20 seguem a carreira e 10% têm sucesso, porque é uma profissão difícil”, comenta o corretor de imóveis Jorge Liutkus.

“O corretor de imóveis é uma verdadeiro desbravador, pois vê as cidades crescendo e ali impera inegavelmente o seu trabalho, pois é ele quem precisa angariar os imóveis, analisar a documentação, definir valor de mercado e promover a venda para propensos interessados”, explica o corretor de imóveis Dilermando Eleutério, que conta com 33 anos de atuação no mercado imobiliário.

Os profissionais comentam que a maior dificuldade do corretor de imóveis é disputar o mercado com pessoas não qualificadas que fazem se passar por corretores. “Muitas vezes a comunidade desconhece o papel do corretor, confundindo com os ‘picaretas’, pessoas que oferecem casas, apartamentos, lotes e não possuem registro no Conselho Regional de Corretores de Imóveis (Creci)”, acrescenta Eleutério.

“É preciso ter uma formação, já que somos responsáveis para orientar uma compra e o financiamento, porque o cliente tem a obrigação de saber o que está comprando”, comenta Liutkus. Para ter uma boa formação, o corretor de imóveis precisa ter o segundo grau completo, e ter feito o Curso Técnico de Transação Imobiliaria- TTI. Após a aprovação, é necessário realizar um teste de proficiência no Creci para obter o registro profissional e a carteirinha do Conselho.

“Antes de obter o registro, é necessário passar por um estágio em imobiliárias, com mais de 200 horas, sendo que o estagiário recebe uma comissão pelos serviços. Atualmente existem cursos superiores e de pós-graduação na área. Na PUC-PR, por exemplo, existe o curso de Administração Imobiliária e técnicos no Cefet e Senai”, comenta Liutkus. O corretor aconselha fazer um curso superior na área ou se aperfeiçoar, como ele, que se graduou em Direito.

Segundo os profissionais, atualmente o corretor de imóveis não é remunerado por comissões mas sim por honorários. Para vendas de imóveis localizados dentro do município urbano, os corretores recebem 6% do valor da venda. Esse valor passa para 10% do valor do imóvel quando se trata de chácaras, lotes e outros localizados na área rural ou fora do domicílio do profissional. “Ele também recebe uma ajuda de custo de boa parte das empresas” acrescenta Liutkus.

“É importante observar que o corretor que cobrar honorários inferiores aos estabelecidos pelo Creci será punido pelo Conselho de Ética”, comenta Eleutério. Os corretores orientam que é importante o cliente solicitar a carteirinha de registro do Creci para comprovar se o profissional está habilitado para exercer a profissão.

Com o aquecimento do mercado imobiliário, com as inúmeras construções em todo o Brasil, os corretores de imóveis não têm do que reclamar do “boom” imobiliário, já que o país passa por um período muito favorável para os interessados em seguir a profissão.

“O mercado imobiliário é como qualquer outra atividade comercial. Existem períodos muito favoráveis e outros nem tanto. Nós estamos em um período muito favorável para o corretor de imóveis, principalmente para o profissional que estiver habilitado e atualizado para conduzir as negociações respeitando a ética”, finaliza Eleutério.

Por Selma Isis


1 comment

  1. Diogo disse:

    Primeiro parabenizo o site pela matéria, porém algumas informações devem ser retificadas:
    1- não existe mais a prova de proficiência, basta a pessoa ser portadora do diplloma de TTI e cumprir as exigências administrativas solicitadas pelo CRECI que poderá se tornar corretor de imóveis.
    2- O estágio não necessarianete é de mais de 200 horas, isso varia de escola para escola, mas no geral esta em 100 horas, e o corretor “poderá” ganhar comissão enquanto estagiário, desde que inscrito como estagiário no CRECI, e tenha um corretor responsável pelo acompanhamento nas funções.

    E concordo com o entrevistado, é uma profissão que requer muito esforço para se ter sucesso, porém nos dias atuais esta sendo muito gratificante ser corretor de imóveis.

    Abraços

Comments are closed.