Entenda melhor a doença do ator Reynaldo Gianecchini o Câncer Linfático

No dia 10 de agosto, o Brasil todo se surpreendeu com a notícia de que o ator Reynaldo Gianecchini irá passar por uma luta contra o câncer. O ator da TV Globo recebeu um diagnóstico de câncer quando se internou no início de agosto para fazer uma bateria de exames em São Paulo (SP). A doença do ator é um câncer linfático, do tipo não-Hodgkin, que se caracteriza por um tumor que afeta os gânglios linfáticos. A doença atinge os linfócitos, que são as células de defesa do organismo.

Trata-se de um dos tipos mais comuns da doença, semelhante à doença enfrentada pela então ministra Dilma Houssef, em 2009, e que costuma regredir totalmente após o tratamento de quimioterapia, pelo qual o ator de 38 anos começará a se submeter nos próximos dias.

O câncer linfático divide-se em dois grandes tipos, o tipo não Hodgkin, o que afeta o ator, que é o mais comum; e o de Hodgkin, mais raro, que costuma afetar cerca de 10% dos pacientes. A medicina afirma que o linfoma não Hodgkin se subdivide em outros 20 subtipos, e que pode afetar a pessoas de todas as faixas etárias, e até mesmo adultos jovens, como é o caso de Gianechinni.

Vale lembrar que até o último dia 11 de agosto, a equipe médica ainda estava trabalhando para identificar o subtipo da doença do ator. Identificando o subtipo, será possível realizar o tratamento, que costuma variar a cada caso, que pode envolver quimioterapia, radioterapia e em casos mais raros, até transplante de medula óssea.

A doença tem como principal sintoma a formação de ínguas, que é um inchaço indolor dos linfonodos nas regiões da virilha, axilas ou pescoço. Além disso, normalmente o paciente sente coceiras, pele áspera, suores em especial à noite, febres, dores abdominais e cansaço em excesso.

A medicina ainda não conhece completamente as causas do linfoma, mas ela costuma afetar pessoas que estiveram expostas a herbicidas ou pesticidas, bem como doenças autoimunes, ou que passaram por algum tipo de transplantes.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), a cada ano são estimados o aparecimento de 9,1 mil novos casos de pessoas com a doença, afetando 4,2 mil mulheres e 4,9 mil homens. No ano de 2008, o Instituto computou 3.568 mortes de pacientes com a doença. Além disso, o Instituto percebeu um aumento de 3% ao ano de casos de linfoma no Brasil, acompanhando o crescimento no resto do mundo.

O ator que interpretou o Fred na novela “Passione” divulgou uma nota oficial dizendo estar preparado para enfrentar a doença. Vários colegas de profissão já demonstraram o apoio ao ator, como a atriz Fernanda Souza, em seu perfil no Twitter. Além disso, fãs do ator já demonstraram seu apoio e carinho para que Gianechini recupere-se logo e volte a brilhas na TV, teatro e cinema.

 

Fontes: Instituto Nacional de Câncer (Inca) e Associação Brasileira de Linfoma e Leucemia (Abrale)